setembro 20, 2021
  • setembro 20, 2021
Novidades
  • Home
  • Edição Atual
  • 8ª edição – Crônica: “A Crítica da crítica?” – Altamir Lopes

8ª edição – Crônica: “A Crítica da crítica?” – Altamir Lopes

By Redação no fevereiro 25, 2021
0 197 Views

A Crítica da crítica?

Altamir Lopes

Para começar, informo ao prezado leitor que, dentro do contexto desse texto, os apontamentos a respeito da palavra “Crítica” referem-se a definição dada a essa palavra no âmbito do juízo de valor de alguém para com uma outra pessoa aplicado de forma negativa ou depreciativa e condenatória. O foco aqui será falar sobre a crítica no âmbito do julgamento desfavorável que alguém faz a respeito dos atos, palavras ou princípios defendidos por outros a respeito de um assunto ou prática. Em suma, vou levantar um posicionamento a respeito da capacidade ( ou pseudocapacidade ) das pessoas em expressarem sua condenação a respeito de outras pessoas.

Então, vamos lá! Me diga: Quem gosta de ser reprovado por seus pares (ou não tão “pares” assim) em função dos seus atos ou palavras? Há quem diga que existe a crítica “construtiva” e a “destrutiva”. Não me aterei à análise desses conceitos. É amplo, diverso e cheio de detalhes que vão desde o ambiente donde se produziram as críticas quanto – por definição – descobrir quando realmente as palavras estão construindo ou destruindo e envolve estudar todos os elementos englobados, como as emoções, personalidades, canal e código utilizados e outros mais…Não! Vamos nos ater ao fato simples: Alguém está criticando – lê-se “condenando” – suas ações ou palavras. Ponto. E aí, como lidar com isso?

A despeito (ou não) do que a filosofia de Kant fala sobre o assunto “Crítica”, precisamos aprender que ela se faz necessária para nossa sobrevivência.

Necessária? Sim, NECESSÁRIA.

O seu corpo te critica o tempo inteiro a respeito do que você insere nele. E, por ouvir essas críticas, você pode prolongar sua vida. O meio ambiente faz o mesmo. As Leis da física e da química imperam sobre cada detalhe da existência. Não aprenda a lidar com a condenação ( ou crítica ) e entre mais cedo na fila da morte. Simples assim.

Assim também ocorre com as pessoas. Muitas, sim, muitas vão nos criticar. Algumas com boas intenções, com foco no nosso bem-estar. Outras não tão preocupadas com o alvo de suas críticas, mas mais atentas naquilo que lhe oferece vantagem ou prejuízo. A crítica das outras pessoas a respeito de nós é tão presente quanto a própria vida.

Só resta compreender que há muito mais do que emoções relacionais envolvidas. O Conhecimento, o ambiente, o bom senso, a lógica, o tipo de relacionamento, de interdependência, a capacidade de visão periférica e a humildade do criticado, além de obviamente o resultado final da aceitação daquela crítica são os principais fatores para que se possa lidar bem com as críticas.

E aonde você pode chegar se compreender bem a arte de lidar com as críticas? Pode chegar a experimentar a Maturidade de compreender que, se quem te critica tiver pelo menos alguma razão e base para criticá-lo, você terá a oportunidade de ser ainda melhor do que é por fazer os ajustes necessários. E isso será ótimo para você.

Mas se o seu algoz não for mais do que mais um inepto inapto cheio de recalques e inveja e/ou simplesmente não tiver absolutamente nenhuma razão ou lógica na emissão de seu caldo venenoso, então, parabéns! Experimente a maturidade plena ao compreender que estás sendo incentivado a continuar no seu caminho, pois afinal, os pseudoargumentos dos ignorantes incrementam a certeza da sabedoria.

O texto termina por aqui, mas a discussão, não. Que tal emitir sua critica?

Redação

O suplemento literário Araçá é um projeto da Revista e Editora “Entre Poetas & Poesias” e foi criado com objetivo de divulgar e propagar a arte a todos os cantos do Brasil e do mundo. Um periódico cultural que nasceu para tornar o cotidiano dos leitores mais suaves com mensagens líricas, filosóficas, entrevistas, poesias, artigos acadêmicos, debates educacionais, entre outros.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *