junho 20, 2021
  • junho 20, 2021
Novidades
  • Home
  • Edição Atual
  • 6ª edição – Crônica: “Vida de Galinha” – por Altamir Lopes

6ª edição – Crônica: “Vida de Galinha” – por Altamir Lopes

By Redação no novembro 23, 2020
0 82 Views

Vida de Galinha
Por Altamir Lopes

2016. São Paulo. Margens da Rodovia Castelo Branco, mais ou menos próximo a cidade de Cesário Lange. Parados num trevo, eu e o grupo de turistas comigo aguardávamos no interior do ônibus de turismo a passagem para fazer o contorno. E apreciávamos a paisagem a nossa volta.
Bem, na verdade, todos os demais passageiros apreciavam a paisagem a nossa volta. Menos eu. Para ser sincero, não sei se me sentira meio que na posição de copiloto da nave e, acreditando equivocadamente que poderia ajudar em alguma coisa, minha mira estava na estrada, juntamente como o motorista. E passava carro atrás de carro. Foram vários minutos aguardando passagem.
Até que, um caminhão vinha monstruosa e gigantemente pela estrada, com uma peculiaridade cargueira que me chamou a atenção em função da característica “penosa” ao vento: Caixas e caixas de galinhas VIVAS se amontoavam milimetricamente na carroceria.
Mais parecia um travesseiro quadrado gigante aquela carroceria! O vento a mais de 80 KM/H ativava de forma tremulante aquelas penas que alvoroçavam pelas fendas das gaiolas galináceas. E num daqueles momentos tão raros quanto o testemunhar de uma queda de um meteorito, confrontei-me com outra queda repentina: Uma das caixas se abre do nada e pelo menos umas quatro ou cinco galináceas despencam do alto da sua prisão plástica!
Ver aquelas galinhas despencando remeteu os meus pensamentos, visões e conclusões a proposições que até hoje – cerca de quatro anos depois do ocorrido – ainda pairam nas minhas sinapses…
Que tragédia foi praquelas galinhas! A morte certa lhes esperava ao tocar a estrada. O próximo veículo viria determinante e poderoso para concluir o destino mórbido delas. Mas, pensava eu, a morte certa não lhes aguardava no abatedouro? Ou, que oportunidade parecia ser aquela? Será que o bater das asas nunca usadas durante suas vidas enclausuradas poderia levá-las a pousar e repousar as margens da infinita highway da sua curta e previsível vida a fim de buscarem refúgio na mata próxima? Poderiam estender mais alguns dias na sua vida programada ou mais algumas horas de agonia por fugir dos predadores naturais ou desnaturais até que encontrassem finalmente o seu destino derradeiro? A caixa que se abriu, abrira para mais oportunidades ou mais desesperos?
Ver aquelas galinhas caindo ao léu, escancarou ainda mais os meus olhos ante a fugacidade da vida delas e de todos os que com elas se relacionam, se parecem ou se aproveitam. Acham que estão com a decisão, quando o máximo que podem fazer é decidir quem vai decidir a vida deles.
Vida de galinha.
Nada mais do que isso. Vida de galinha.

Redação

O suplemento literário Araçá é um projeto da Revista e Editora “Entre Poetas & Poesias” e foi criado com objetivo de divulgar e propagar a arte a todos os cantos do Brasil e do mundo. Um periódico cultural que nasceu para tornar o cotidiano dos leitores mais suaves com mensagens líricas, filosóficas, entrevistas, poesias, artigos acadêmicos, debates educacionais, entre outros.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *