setembro 20, 2021
  • setembro 20, 2021
Novidades

Edição 04 – Crônica: “Viagem sem rumo” – Suplemento Araçá

By Redação no setembro 12, 2020
0 102 Views

Viagem sem rumo
Angela Moreira

Viajando por diversos lugares, Paulo fez muitos amigos. Conheceu muitas pessoas e diversos lugares, imaginou algumas vezes que tudo aquilo era um sonho, mas logo percebeu que era real e que ele se apaixonava mais e mais por todos os lugares que conhecia.

Quando Paulo iniciou sua viagem, nem ele mesmo sabia ao certo para onde ia, quanto tempo ficaria viajando, quando retornaria ou, ainda, se isso ia mesmo acontecer.

Paulo viajou durante três longos anos, mas, ao retornar ao lar, verificou que muita coisa havia mudado e somente ele não sabia. Sua irmã tinha se casado e já tinha dois filhos: a menina com um ano e o menino com um mês. Ele ficou muito feliz, mas resolveu viajar novamente. Desta vez, foi para lugares diferentes, ficando distanciado do mundo e de todos, pois tinha ido para a África.

Ele ficou quase quinze anos afastado do seio da família, porém lembrou-se que sua sobrinha faria quinze anos dentro em breve e retornou para sua família.

Ao chegar, já encontrou a festa de sua sobrinha acontecendo e ficou muito feliz por poder participar daquele momento. Passados uns dias avisou a sua família que iria viajar para bem longe e não sabia se voltaria. Seu sobrinho pediu que o levasse com ele, mas como ainda era um menino, Paulo lhe disse que da próxima vez o levaria. Chegou o dia da partida e Paulo se despediu de todos. Levou dez anos longe de sua família, dessa vez viajando pelo mar. Passado esse tempo, Paulo retornou para cumprir o prometido: levar seu sobrinho consigo na próxima viagem. E assim o fez.

Partiram cedo, sem destino, prometendo que voltariam logo. O rapaz ficou deslumbrado pela beleza dos lugares onde passou. Retornou para casa feliz e realizado.

Paulo se despediu de todos e disse que agora não retornaria, pois iria desbravar outros caminhos mais distantes. Navegou em rios, mares, caminhou por estradas e por muitos lugares. Até que achou um lugar pelo qual se apaixonou e lá resolveu morar.

Um dia sentiu uma grande saudade de sua família e resolveu visitá-la. Para sua surpresa estavam mais perto do que imaginava. Bastava cruzar a ponte e chegar na cidade onde eles moravam. 

E foi assim que Paulo percebeu que tinham que ficar próximos uns dos outros. E, a partir daí, nunca mais se separaram e passaram a se visitar sempre.

Comentário sobre o texto:

 Muitas vezes fugimos do nosso próprio “Eu” e dos nossos familiares e amigos e seguimos por vários caminhos à procura do nosso próprio caminho e, no final, descobrimos que o que procurávamos em lugares distantes estava tão perto e não percebíamos isso. Foi isso que aconteceu com Paulo. Um jovem que se tornou um adulto com espírito aventureiro e depois descobriu o lugar certo para viver, o qual não precisaria ter procurado tanto e se arriscado pelo mundo. Seu lugar era junto dos seus, para isso bastava que ele tivesse olhado com os olhos do coração. Nunca é tarde para recomeçar. 

Redação

O suplemento literário Araçá é um projeto da Revista e Editora “Entre Poetas & Poesias” e foi criado com objetivo de divulgar e propagar a arte a todos os cantos do Brasil e do mundo. Um periódico cultural que nasceu para tornar o cotidiano dos leitores mais suaves com mensagens líricas, filosóficas, entrevistas, poesias, artigos acadêmicos, debates educacionais, entre outros.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *